Inscreva-se na nossa Newsletter

    Desejo receber e-mails sobre

    aceito Li e aceito os termos de uso e de privacidade *
    * Campos obrigatórios
    Disponível no:
    Termos de uso

    You won't be able to dismiss this by usual means (escape or click button), but you can close it programatically based on user choices or actions.

    fechar

    Termos de privacidade

    You won't be able to dismiss this by usual means (escape or click button), but you can close it programatically based on user choices or actions.

    fechar

    Quero Investir

    Preencha os dados para ver as formas de investimentos:

      aceito Li e aceito os termos de uso e de privacidade *
      * Campos obrigatórios

      ESTUDO REFUTA MITOS SOBRE RISCO, LIQUIDEZ E GOVERNANÇA DE ‘SMALL CAP’

      A aplicação em “small caps”, ações de empresas com capitaliza­ção entre US$ 300 milhões e US$ 2 bilhões, é cercada de “mitos” que podem afastar potenciais investidores. Na tentativa de desfazer al­gumas dessas “lendas” que cercam esses papéis, Frederico Mesnik, sócio e CEO da Trígono Capi­tal, fez um levantamento com os dados do Ibovespa e do Índice Small Caps nos últimos 10 anos.

      Com o resultado do estudo em mãos, Mesnik chegou à conclusão de que não é verdade que essas ações tenham risco maior. Ao contrário do que se imagina, o lbovespa tem maior volatilidade e menor retorno no longo prazo, segundo o estudo. Ao observar os números de abril de 2oo8 a novembro de 2019, o Ibovespa apresentou volatilidade de 27%, enquanto no Índice Small Caps foi de 22%. No mesmo período, o retorno da lbovespa foi de 59%; enquanto o SmallCaps foi de 152%. “Hoje 55% das empresas listadas são small caps, que são esquecidas e renegadas pelo mercado”, conta  Mesnik.

      O gestor incluiu uma simulação de 60 mil movimentações -aplica­ções e resgates -em diferentes períodos dos últimos 10 anos. O resultado apontou que o Índice de Small Caps superou o lbovespa em 58% dos cenários, com um retorno anual de 4% acima do lbovespa. Mesnik também levantou os desempenhos trimestrais  de ambos os índices e observou que em 63% dos períodos o Small Caps ganhou do Ibovespa. Dos trimestres em que o Small Caps teve desempenho nega­tivo, 90% deles ocorreram entre 2013 e 2016, durante o ciclo de alta da Selic, em que a taxa básica de juros alcançou 14,25% ao ano.

      O estudo apontou também que ações de menor capitalização ten­dem a se recuperar mais rapidamente em crises, quando com­paradas aos papéis de grandes companhias. Na crise do “subprime”(bolha imobiliária) dos EUA, desencadeada em 2008, o lbovespa caiu 59% e precisou de 618 pregões para se re­cuperar. O índice Small Caps caiu 63% e levou 381 pregões para retomar seu patamar. No episódio do “Joesley Day” a perda foi de 10% para ambos os índices, mas o lbovespa precisou de 58 sessões, enquanto o de Small Caps somente 44 para retomar ao patamaranterior à crise.

      Publicação de 16/12/2019 – Jornal Valor Econômico | Caderno de Finanças | Por Werusca Goeking

      Inscreva-se na nossa Newsletter

        Desejo receber e-mails sobre

        aceito Li e aceito os termos de uso e de privacidade *
        * Campos obrigatórios
        Disponível no:
        Termos de uso

        You won't be able to dismiss this by usual means (escape or click button), but you can close it programatically based on user choices or actions.

        fechar

        Termos de privacidade

        You won't be able to dismiss this by usual means (escape or click button), but you can close it programatically based on user choices or actions.

        fechar

        Confira as entidades que a Trígono Capital apoia: