Inscreva-se na nossa Newsletter

    Desejo receber e-mails sobre

    aceito Li e aceito os termos de uso e de privacidade *
    * Campos obrigatórios
    Disponível no:
    Termos de uso

    You won't be able to dismiss this by usual means (escape or click button), but you can close it programatically based on user choices or actions.

    fechar

    Termos de privacidade

    You won't be able to dismiss this by usual means (escape or click button), but you can close it programatically based on user choices or actions.

    fechar

    Quero Investir

    Preencha os dados para ver as formas de investimentos:

      aceito Li e aceito os termos de uso e de privacidade *
      * Campos obrigatórios

      Resenha mensal – novembro 2020: Abrem-se as cortinas e começa o espetáculo.

      Prezados investidores,

      Abrem-se as cortinas e começa o espetáculo

      Como sabem os leitores que acompanham nossas resenhas, explicamos nossa visão de mercado, nossas estratégias e processo de investimento por meio de analogias e história. Já o fizemos lançando mão de diversas referências: a Bíblia, grandes economistas, literatura, música pop, MPB e outras. Na resenha anterior usamos a agricultura como referência – devido às suas óbvias similaridades com o universo do investimento: saber plantar, ter paciência para colher etc. Aqui, nossa referência para ilustrar este texto será o teatro.

      DRAMATIS PERSONAE

      Covid-19

      Mercados financeiros estrangeiros

      Mercados financeiros brasileiros

      Prefeitos, governadores e governo federal

      Sociedade em geral

      ATO I – CENA ÚNICA

      Na primeira resenha deste ano, no início de janeiro, contamos nossa experiência na crise de 2008 – não temos nenhum talento para sermos a Cassandra da mitologia grega, mas como que antecipávamos ali os acontecimentos que estavam prestes a se desenrolar. Cassandra era filha de Príamo, rei de Troia que viu a cidade ser tomada pelos gregos (Homero contou essa história na Ilíada). Cassandra era uma das favoritas do deus Apolo, que concedeu a ela o dom da profecia. Mas, como os deuses gregos eram bastante volúveis, Apolo se irritou com a favorita e a amaldiçoou com a descrença geral. Depois disso, ninguém mais acreditou no que dizia Cassandra.

      ATO II – CENA ÚNICA

      Na segunda resenha do ano (no Segundo Ato, se podemos dizer assim), publicada em 15 de fevereiro, o drama já se fazia mais visível. Transcrevemos abaixo o que dissemos então:

      “Nossa atividade como gestor de investimentos é sempre uma caixinha de surpresas. Após a trégua assinada em 15 de janeiro na disputa comercial entre EUA e China, o país asiático volta a assustar o mundo (e em particular o mercado financeiro) ao tornar a palavra coronavírus a mais importante e temida no momento. Não é hora ainda de discutir mérito ou extensão das preocupações que ela causa nem o impacto que poderá ter na economia mundial ou nos investimentos. Informações e novidades sobre o surto, até aqui, têm seguido o padrão mutante do vírus.” Comentário atual: padrão mutante que ficou ainda mais forte.

       

      Clique aqui e leia mais.

      Inscreva-se na nossa Newsletter

        Desejo receber e-mails sobre

        aceito Li e aceito os termos de uso e de privacidade *
        * Campos obrigatórios
        Disponível no:
        Termos de uso

        You won't be able to dismiss this by usual means (escape or click button), but you can close it programatically based on user choices or actions.

        fechar

        Termos de privacidade

        You won't be able to dismiss this by usual means (escape or click button), but you can close it programatically based on user choices or actions.

        fechar

        Confira as entidades que a Trígono Capital apoia: